sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Rafinha Bastos: o sem graça


Eu não gosto do estilo das músicas da cantora Wanessa Camargo. Eu não penso em fazer defesa dela. Eu também não quero ir contra o Rafinha Bastos.

Desejo dizer que acho que ele perdeu o tom da piada ao dizer que "pegaria a mãe e a filha também". "Pegar" no caso, é só o meu eufemismo. Não quero usar a palavra que ele usou. Tem a ver com relação sexual.

Ora, a cantora está grávida, e ele se referiu à vida em formação no útero de uma mãe e a mãe com tamanho desrespeito! Dizer isso não tem nenhuma graça.

Neste caso, penso que a cadeia é muito para ele. E pagar indenização também, mesmo que seja obrigado a pagar só R$ 1,00.  Acho um exagero muito grande a reação das partes ofendidas! Por quê? Porque devemos zelar pela liberdade de expressão. Existe defesa da liberdade só quando nós estamos a falar? Devemos defendê-la também quando ouvimos outros falarem.

Mas, que ele perdeu o tom do bom humor, perdeu. Ele deve ter perdido o fio da meada devido sua alta exposição na mídia. A fama fez mal para os neurônios dele. Aparecia nos programas CQC e A Liga e em algumas peças publicitárias.

Ele deve ter acreditado em todos os elogios que recebeu...  E agora? Sumiu! Cadê os aduladores? Sumiram também.

E.A.G.

Nenhum comentário: